A dimensão de sonhos e realidades se tece com palavras.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Poema na porta


UM POEMA NA PORTA (Casa dos Ventos)

Palavras-vento

Se quiser palavras concretas,
Claras, exatas, diretas,
Peça às paredes,
Não a mim.

Essas palavras-tijolo,
De que se constroem pensamentos,
Não soltam riso nem choro,
Não sentem gozo ou tormentos.

Sinta as palavras-vento,
Dentro do quarto e da alma,
Contentes e quentes de sol!

À noite elas vêm, bem tarde,
Frias de lua e saudade
E se deitam em seu lençol.

Rosaly Fonseca

Nenhum comentário:

Postar um comentário