A dimensão de sonhos e realidades se tece com palavras.

sábado, 30 de outubro de 2010

Mergulhe. Ao infinito...



Mesmo em silêncio, há a energia humana do sentir.
Pare e observe. Tente. Olhares podem ser lidos. Mergulhe.

O momento que mais diz é aquele do mergulho no silêncio. Na profundeza.
É a outra dimensão do respirar de palavras,
que se misturam entre as cores, as formas
e os mistérios marinhos.
Há sempre a sensação que oscila entre a quietude e a iminência,
o inesperado.
É como uma inebriante sensação de dissolver-se até o nada e,
ao mesmo tempo, de absorver o tudo.
É vida constante, que se renova, que pulsa, a cada instante.
E que nos toca, nos envolve, com suavidade hídrica,
ou nos arrasta, indefesos, nas correntes de um oceano.
Ao infinito...

Nenhum comentário:

Postar um comentário